Artigos

Amazon e Facebook têm funcionários com coronavírus nos EUA


Homem usando máscaras e óculos anda de bicicleta em Kirland, Washington, perto de Seattle, na terça-feira (3). A OMS recomenda o uso de máscaras apenas para profissionais de saúde e pessoas que estão doentes. — Foto: Ted S. Warren/AP
A Amazon e o Facebook estão pedindo que funcionários fiquem em casa em Seattle, estado de Washington nos EUA, por causa de casos de coronavírus nessas empresas.
A região é onde fica a sede da Amazon e uma das mais afetadas por casos de coronavírus nos EUA. Até o momento já foram confirmados 32 casos no Condado de King, próximo a Seattle, com 10 mortes no estado.
Tudo sobre coronavírus
Em todo o mundo, mais de 97 mil casos da doença foram confirmados, com pelo menos 3,3 mil mortes.
“Um prestador de serviço que trabalha em nosso escritório no Stadium East foi diagnosticado com o COVID-19. Notificamos nossos funcionários e estamos seguindo os conselhos das autoridades de saúde pública para priorizar a saúde e a segurança de todos", disse o Facebook em um comunicado.
A rede social afirmou ainda que " tomando medidas para reduzir o risco do COVID-19" para funcionários, inclusive interrompendo visitas sociais aos escritórios do Facebook. O G1 também procurou a Amazon para comentar o caso.
A Amazon, segundo a agência Reuters, seguiu Facebook e Microsoft e recomendou que seus funcionários de Seattle trabalhem de casa até o final do mês, depois que um dos empregados da gigante do varejo testou positivo para o coronavírus na terça-feira.
O funcionário da Amazon trabalhou no complexo de escritórios South Lake Union em Seattle. Dois outros funcionários da empresa em Milão também foram infectados com o vírus.
A Microsoft disse na quarta-feira (4) que alguns funcionários "essenciais" devem continuar indo para seus locais de trabalho e que a empresa seguirá as diretrizes do governo para desinfetar suas instalações.
O Google também orientou seus funcionários em Washington a ficarem em casa, segundo um porta-voz informou ao blog especializado "Techcrunch".
A mesma atitude foi tomada pela start-up Lyft, concorrente do Uber, em São Francisco, na Califórnia.
Eventos cancelados
Além do dia a dia das empresas, alguns dos principais eventos do setor de tecnologia têm sido suspensos por receios com coronavírus nos EUA. O Facebook anunciou o cancelamento da conferência para desenvolvedores F8. O Google também desistiu de sua própria conferência, o I/O. Ambos os eventos eram previstos para maio, na Califórnia.
Antes disso, no mês passado, foi cancelado o maior evento de telefonia móvel do mundo, o MWC, que aconteceria em Barcelona, na Espanha.

Fonte: G1


« Voltar
WhatsApp