Artigos

Google conecta mais ferramentas de trabalho ao Gmail


1 de 1 Logotipo do Google estampa parede do escritório da empresa em Tel Aviv, em Israel. — Foto: Baz Ratner / Reuters Logotipo do Google estampa parede do escritório da empresa em Tel Aviv, em Israel. — Foto: Baz Ratner / Reuters
O Google, afirmou nesta quarta-feira (15) que os usuários corporativos do Gmail poderão editar documentos e outros arquivos sem sair do serviço.
Com isso, a empresa busca atrair clientes de serviços ofertados pela concorrência, como o Office, da Microsoft, que domina o mercado global de ferramentas corporativas de edição de documentos e email.
O anúncio foi feito na conferência anual de clientes e parceiros da unidade de computação em nuvem do Google, que se transformou em uma reunião virtual por várias semanas, devido à nova pandemia de coronavírus.
Tanto o Google, como a Microsoft adicionaram novos recursos de videochamada e outras ferramentas de colaboração para atrair novos usuários corporativos.
Vantagem
O Google afirma que encontrou uma vantagem com os clientes em potencial ao promover o Gmail como um hub único para os funcionários acessarem bate-papos por texto, videochamadas e agora documentos. A Microsoft limitou os vínculos entre suas ferramentas de e-mail e bate-papo, Outlook e Teams.
"A Microsoft ainda está lhe dizendo que há dois lugares a serem verificados, dois hábitos diferentes, duas caixas de entrada", disse Javier Soltero, vice-presidente do Google que trabalhava na Microsoft, em entrevista nesta quarta-feira.
Usuários que utilizam a versão gratuita do Gmail poderão ter acesso às novas integrações no futuro, disse Soltero.
A Microsoft, que continuou a registrar um rápido crescimento da receita do Office, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.
Nesta quarta-feira, o Google apresentou algumas opções que já existem no Microsoft Teams, incluindo a capacidade de os usuários de bate-papo listarem um aviso de "fora do escritório" e "marcarem" as conversas para facilitar a localização mais tarde.

Fonte: G1


« Voltar
WhatsApp